5 de junho de 2012

Amálgamas dentárias e nutrição, qual a relação?


Nas restaurações dentárias de amálgama de prata são utilizadas como matéria prima o mercúrio, que é um metal líquido, pesado e extremamente tóxico. 

Na odontologia, há controvérsias sobre o tema de amalgama de prata, eles são seguros ou não seguros? Há muitos artigos escritos sobre os prós e contras.

Estudos recentes mostram que para a remoção da amalgama, é importante avaliar a saúde geral do organismo e sua capacidade para eliminar as toxinas. Por isso, o trabalho do dentista em conjunto com o nutricionista irá gerar um resultado positivo a saúde. Por exemplo, se uma pessoa tiver um intestino permeável e um fígado com baixa capacidade de destoxificação, a probabilidade de absorção desse mercúrio é muito maior. 

Em casos de gestação o mercúrio materno passa a barreira placentária causando contaminação do feto. Alguns estudos relatam que a concentração de mercúrio no sangue do feto pode ser trinta vezes maior que no sangue da mãe. 

Mas qual o problema de níveis altos de mercúrio no organismo? 
A exposição crônica ao mercúrio pode causar sintomas gastrointestinais como dor abdominal, gosto metálico na boca, digestão difícil, salivação abundante, náuseas, cólicas intestinais, gengivite, sintomas neurológicos como falta de memória, cefaléia, insônia ou sonolência e tontura, alterações emocionais como nervosismo, irritabilidade, distúrbios de memória, tristeza, diminuição da atenção, depressão e agressividade, também pode causar irritação nos olhos, fraqueza muscular, borramento visual, zumbido e irritação nasal. 

Procure um dentista e um nutricionista para um procedimento mais saudável. Quer saber mais, confira a pesquisa na íntegra aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário