13 de fevereiro de 2014

Abacate: vilão ou mocinho?


Muitos o consideram como vilão quando o assunto é calorias. Mas na verdade, ele é o “mocinho” da história. O alto valor calórico do abacate se deve a grande quantidade de gordura denominada monoinsaturada, que ajuda a diminuir o nível de colesterol total e de colesterol “ruim” (LDL) no sangue, e a aumentar o colesterol “bom” (HDL), oferecendo assim um efeito protetor contra o desenvolvimento de doenças cardiovasculares

Um estudo feito na faculdade de medicina da Universidade Harvard, concluiu que formada basicamente de ácido oleico (a mesma substância encontrada no azeite de oliva), a gordura do abacate reduz o risco de síndrome metabólica - desordem no metabolismo capaz de desencadear diabetes e ganho de peso, além de proporcionar sensação de saciedade e capaz de adiar a fome.

A vitamina E e outros antioxidantes presente no abacate, neutraliza boa parte dos radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce. Isso diminui o aparecimento de rugas precoces e celulite e a pele também fica mais bonita.


O betasistosterol, substância ativa encontrado na fruta é auxilia no controle nos níveis de cortisol, hormônio do stress, que em excesso acaba dificultando a perda de peso.

Mas alguns cuidados são necessários, principalmente em relação a quantidade. Você não precisa comer o abacate inteiro de uma só vez, consulte seu nutricionista e adeque sua alimentação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário