28 de maio de 2015

Candidíase de repetição


 
Com maior incidência nas mulheres, a doença se manifesta por uma proliferação anormal, principalmente da cândida albicans. No trato genital feminino é caracterizada por candidíase vulvovaginal (CVV), tem como sintomas ardor, coceira, prurido e corrimento branco e espesso, que aumentam no período pré mestrual principalmente pelo aumento da acidez vaginal.

Além da infecção vaginal a cândida pode levar a vários desequilíbrios no organismo. No sistema nervoso fadiga, dificuldade de concentração, depressão e alteração de humor. No sistema digestivo distenção abdominal, gases excessivos, diarreia alternada com constipação. Além de alergias alimentares e de pele e perda da libido.

A cândida albicans é um fungo existente na microbiota intestinal, o problema está na multiplicação exacerbada. Isso ocorre com uso de antibióticos e antiácidos, uso de anticoncepcional, disbiose intestinal, estresse, consumo excessivo de álcool, consumo de carboidratos refinados (pão, biscoitos, massas) e doces. Esses alimentos, além de nutrir o fungo, modificam o pH intestinal, tornando o meio propício para a diminuição das bactérias probióticas (bactérias boas).




O que poucos pessoas sabem é que a nutrição pode tratar de vez esse problema. Quando fazemos um tratamento para candidíase é preciso evitar consumo de doces e alimentos fermentados (vinho, cerveja, pão, vinagre), leite e derivados, frutas secas e castanhas. É preciso fortalecer o sistema imunológico, na fitoterapia pode-se usar equinácia e unha de gato (procure um profissional para prescrição correta), além de ômega 3. Alimentos antifúngicos como semente de abóbora, orégano e óleo de coco atuam conta o fungo. Alimentos verdes escuros como brócolis, couve e salsinha são importantes para auxiliar no processo de destoxificação das toxinas liberadas no tratamento antifúngico. O uso de probiótico é fundamental no tratamento, assim como alimentos prebióticos como a farinha de banana verde.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário